Tag Archives: Lygia Clark

Movimento, percepção e moda

5 fev

A obra de Lygia Clark é voltada às percepções, participante do movimento concretista, demonstra como a arte pode ser livre, sem molduras e limitações de espaço. A obra “Casulos, Trepantes e Bichos” trabalha a maleabilidade dos materiais no Neoconcretismo. São formas não definidas, estruturas rígidas articuladas que permitem o espectador modifica-las, não se encaixando em nenhuma categoria sendo ela quadro, pintura ou escultura; é uma percepção livre, uma arte interativa, que permite ao espectador recria-la. Sua obra torna-se viva.

Segundo Lygia Clark (1980: 27), sua obra não se trata da participação pela participação, nem da agressão pela agressão, mas que o participante dê um sentido a seu gesto e que seu ato seja nutrido de um pensamento: a ocorrência do jogo coloca em evidência sua liberdade de ação. A liberdade de modificação de sua obra não foca no objeto em si, mas na percepção do espectador, há uma comunicação, não é uma ação nula de significado. Para Merleau-Ponty (1990) a obra Bichos equivale ao ser que é ele mesmo sendo sempre outros. Esse pensamento é constante na moda, na relação pessoa-objeto.

Ano passado uma coleção do Rio Moda Hype despertou a atenção dos fashionistas, trata-se do desfile de Julia Valle, que tem Lygia Clarck e o movimento de massa de ar como inspiração. O foco do seu trabalho foi a modelagem, como um questionamento da reprodução, uma relação homem-tecnologia, onde a modelagem criada pela modelista num software, sofre modificações pelo mesmo, causando deformações e re-trabalhando a peça, dando espaço a maquina modificar seu trabalho, uma atitude inovadora, afirmando assim que não há limites na utilização das tecnologias. Valle utiliza o espírito de Clark quanto ao desenvolvimento da criatividade, liberando suas criações das formas circundas do corpo.

A obra da Lygia me lembra muito o clipe da música Mykonos da banda Fleet Floxes.


Referências:

Érika Palomino – Julia Valle. Acessado em 10 de dezembro de 2009. Disponível em:

http://www.erikapalomino.com.br/desfile/desfile_index_action.php?id=1657.

Textos de apoio:

ROLNIK, Suely. Por um estado de arte a atualidade de Lygia Clark.

Arte cura?

CATALANO, Ana Rosa Saraiva. O lugar do Espectador-participante na obra de Lygia clark e Hélio Oiticica.